Quinta, 26 de Maio de 2022
27°

Muitas nuvens

Rio Branco - AC

Política Em Rio Branco

Câmara realiza Audiência Pública para debater condições de saúde das mulheres e dos atendimentos na maternidade

A Audiência contou com a presença da Dra. Paula Augusta Maia De Faria Mariano – Secretária Estadual De Saúde, Rafaela Brito – Diretora de Regulamentação e Controle e Avaliação, Laura pontes – Gerente Geral da maternidade Bárbara Heliodora

14/05/2022 às 10h56
Por: Denis Henrique Fonte: Assecom
Compartilhe:
Câmara realiza Audiência Pública para debater condições de saúde das mulheres e dos atendimentos na maternidade

A Câmara Municipal de Rio Branco realizou nessa sexta-feira (13), Audiência Pública proposta pela vereadora Michelle Melo (PDT), para debater as condições de saúde das mulheres e dos atendimentos na Maternidade Bárbara Heliodora em Rio Branco. A Audiência contou com a presença da Dra. Paula Augusta Maia De Faria Mariano – Secretária Estadual De Saúde, Rafaela Brito – Diretora de Regulamentação e Controle e Avaliação, Laura pontes – Gerente Geral da maternidade Bárbara Heliodora.

Michelle Melo iniciou a fala abordando a necessidade das politicas públicas voltada para a saúde da mulher e levantou questionamentos sobre as mulheres em situação de rua no município.

Em resposta, Rafaela Brito – Diretora de Regulamentação e Controle e Avaliação, explicou que como são responsáveis pela Rede da Atenção Primária, o município tem trabalhado com ações interceptoras em parceria com o CRAS e destacou as ações realizadas para atender essas mulheres.

“São várias ações envolvidas, com ações de prevenções que é nosso maior foco, e a parceria com o CRAS é no sentido de identificar aquela gestante que vive em situação de rua para que seja feito os devidos encaminhamentos necessários”, disse Rafaela Brito.

A diretora da Maternidade Bárbara Heliodora, Laura Pontes, também destacou as melhorias no atendimento as parturientes e aproveitou a oportunidade para fazer esclarecimentos sobre os últimos fatos noticiados na mídia. A gestora explicou que em um dos casos, a parturiente, moradora em situação de rua, desconhecia a gravidez e procurava ajuda no Pronto Socorro; não havendo negligência obstétrica. Já em relação a outro caso, também evidenciado no noticiário, apontou descontextualização dos fatos e exposição indevida de imagem, uma vez da gravação do parto, na Sala de Doce Espera, sem autorização legal.

Questionada pelo vereador Fábio Araújo acerca dos protocolos de atendimento às parturientes nos espaços hospitalares reservado à mulher e também sobre a existência de programas de assistência às puérperas, a Secretária Estadual De Saúde, Paula Mariano delineou as ações da Pasta referentes aos cuidados de pré-natal, bem como a ampliação das políticas assistencialistas ao público. Ademais, a gestora destacou a realização de trabalhos de diagnósticos junto aos Municípios.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários