Segunda, 24 de Janeiro de 2022 15:30
(68) 99971-5137
Anibal Diniz; Anatel

Aviso aos navegantes! – Por Aníbal Diniz

Os governantes precisam estar antenados com os desafios da era da colaboração!

12/10/2015 12h12
Por: Redação Fonte: Acreaovivo.com
Aviso aos navegantes! – Por Aníbal Diniz

Ou melhor, aos governantes, uma vez que a mensagem do relatório do estudo do perfil dos governantes latino-americanos nas redes sociais sob o título “El Gobernauta Latinoamericano”, publicado em junho de 2015 pelos pesquisadores Pablo Valente, Ramiro Lopes – Ghio, Mário Riorda e Fernando Straface, alerta para a importância do trabalho colaborativo nesse início da “Era da Colaboração” e dá dicas curiosas sobre o que pode vir a acontecer aos líderes que não se derem conta de que o mundo conectado exige uma nova postura de seus dirigentes, uma vez que impactará fortemente na vida das pessoas, nas instituições e nos modelos de governo.

A era da colaboração que emerge desse mundo conectado se sustenta na colaboração massiva de iguais em redes globais e está baseada na confiança, na transparência e no trabalho coletivo. Os pesquisadores alertam que, em 2020, os telefones inteligentes conectarão entre 2 e 3 bilhões de pessoas no mundo, e que os dados armazenados serão 50 vezes o que estava armazenado em 2010. No campo econômico, mesmo atualmente, as empresas que usam dados da internet para basear suas tomadas de decisão têm pelo menos 6% a mais de produtividade.

As novas tecnologias de informação e comunicação - TICs existem para recuperar a confiança das pessoas e gerar soluções que melhorem a qualidade de vida. Mas, para isso, há que se cobrar dos governantes a priorização de espaços voltados para o desenvolvimento de ferramentas que associem análise de dados com um melhor diálogo com a cidadania. A lógica é muito simples e o relatório é enfático nesse sentido: “Não conseguiremos resolver os problemas do futuro com as ferramentas e as bases culturais do passado”!

O fato é que as novas tecnologias fizeram surgir um novo cidadão que demanda um novo tipo de governante, ou melhor, um “governauta”. “O governauta é imcompatível com o uso arbitrário e personalista do poder”, principalmente porque a “era da colaboração” coincide com a chegada da primeira geração de nativos digitais. Ou seja: o governante do futuro terá forçosamente que levar em conta que as futuras gerações serão infinitamente mais conectadas e exigirão respostas compatíveis com sua realidade.

A transparência da informação, no futuro, terá que se converter em verdadeira ferramenta de gestão, e não em mera estratégia de legitimação das ações do poder público, como ocorre atualmente. Os “governautas”, líderes altamente conectados e atentos às inovações, terão que refazer suas equipes incorporando talentos antes desconhecidos e estar abertos às experimentações. Os governantes mais apegados às hierarquias tradicionais tendem a ficar alijados das enormes possibilidades que estão surgindo com a era da colaboração.

Os novos líderes não serão pessoas que terão todas as respostas, mas pessoas que saibam formular as perguntas mais adequadas, valorizem a inteligência coletiva, e organizem e coordenem o trabalho colaborativo de diferentes coletivos e agentes sociais e econômicos.

A melhor notícia é que o internauta latino-americano é muito mais conectado que nas demais regiões do planeta. E no Brasil, os incluídos digitais passam mais horas conectados que o tempo que passam vendo televisão.

O desafio é romper o hiato digital. É fazer com que as mais de 100 milhões de pessoas que ainda são digitalmente excluídas no Brasil tenham acesso à Internet e tenham a oportunidade de participar, com suas opiniões e visões de mundo, da construção de uma sociedade melhor para todos. Os governantes precisam estar antenados com os desafios da era da colaboração!

---

* Aníbal Diniz, 52, jornalista, graduado em História pela UFAC, foi diretor de jornalismo da TV Gazeta (1990 – 1992) assessor da Prefeitura de Rio Branco na gestão Jorge Viana (1993 – 1996), assessor e secretário de comunicação do Governo do Acre nas administrações Jorge Viana e Binho Marques (1999 – 2010) e senador pelo PT- Acre (Dez/2010 – Jan/2015), assessor da Liderança do Governo no Congresso Nacional de março a outubro de 2015, membro do Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel a partir de 13 de outubro.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.