Segunda, 25 de Outubro de 2021 01:55
(68) 99971-5137
Cultura Teatro

Encontro Norte de Teatro Musical celebra a produção musical da Amazônia

De 20 a 24 de setembro, evento reúne, pela primeira vez, convidados dos sete estados da região Norte e promove workshops com Myra Ruiz e Ivana Sarmanho

17/09/2021 14h57
Por: Denis Henrique Fonte: Assessoria
Encontro Norte de Teatro Musical celebra a produção musical da Amazônia

O maior evento de Teatro Musical da região Norte do Brasil está em sua quarta edição e traz extensa programação, com mesas redondas e workshops, de 20 a 24 de setembro, ao vivo e gratuito nas redes da Folhetim Produções Culturais, realizadora do projeto.

Em 2021, o Encontro Norte de Teatro Musical será um evento virtual e reúne, pela primeira vez, representantes de todos os sete estados da região Norte do Brasil e conta ainda com a participação de grandes nomes do meio cultural do país, como a atriz e cantora Myra Ruiz e a diretora de produção Ivana Sarmanho. A programação completa e os links estão disponíveis no site folhetim.art.br.

Idealizado pelo diretor e dramaturgo cultural Guál Dídimo, o projeto foi selecionado pelo Edital de Festivais Integrados - Lei Aldir Blanc Pará e viabilizado pelos recursos federais da Lei de Emergência Cultural (Lei nº 14.017/2020).

O Encontro Norte de Teatro Musical tem por intuito valorizar, promover, unir e celebrar os artistas e empreendedores que dedicam suas carreiras à produção e difusão do teatro musical no norte brasileiro, além de proporcionar uma aproximação com os profissionais da área e o público que admira e prestigia o teatro em todas as suas formas.

Para Guál Dídimo, o projeto tem um lugar reservado no seu coração. “É um evento independente e político, de posicionamento artístico, cultural e social. É um projeto único, desafiador, mas extremamente recompensante”, ressalta. “A região Norte do Brasil é considerada pelo restante do país como uma zona ‘a ser explorada’, as pessoas não têm muito conhecimento do que é realizado por nós, então, o evento vem para dar visibilidade, para dar espaço, para mostrar que, sim, nós fazemos e acontecemos, nós criamos a nossa realidade e são produtores que trabalham com muito afinco e tem resultados excepcionais no que se propõe.”

Além do idealizador e das palestrantes convidadas, participam do evento Alcântara Júnior (PA), Bel Lobato (PA), Cayton Farias (AP), Iracy Vaz (PA), Joandson Marques (RR), Larrisa Imbiriba (PA), Lígia Coelho (PA), Marselle Moreira (AC), Matheus Sabbá (AM), Piettro Lamonier (TO), Raissa Gama (PA), Sabrynne Sena (RO), Taciano Soares (AM), Tiago de Pinho (PA), Vitor Rocha (SP) e Yuri Warris (PA). Os mediadores são os artistas paraenses Layse Souza e JottaC.

Encontro fortalece a produção teatral e une profissionais da região

O grande destaque da nova edição é a reunião dos produtores de Teatro Musical da Amazônia, mostrando para o país que há musicais de excelente qualidade sendo produzidos fora do eixo Rio-São Paulo.

“O Encontro Norte é uma oportunidade para visualizarmos quem são as pessoas que produzem o teatro musical aqui, na Amazônia, no Norte do país, e de que forma elas fazem isso e o que precisam para avançar nessa produção”, destaca o ator e diretor Matheus Sabbá, de Manaus (AM). “Se eu não tivesse conhecido o Guál, não estaríamos compartilhando tantas coisas, não conheceríamos tantos artistas que produzem teatro musical no Norte. O projeto é de uma importância gigante e eu espero que surjam mais políticas públicas para que eventos como esse cresçam cada vez mais”.

No Acre, a professora e bailarina Marselle Moreira conta que o Teatro Musical ainda é novo, mas está ganhando força, e que, além de conectar os artistas, o Encontro é a prova de que todo o Brasil produz cultura. Já a professora e maestrina Sabrynne Sena, de Rondônia, destaca o intercâmbio de informações, a possibilidade de conhecer o trabalho dos colegas e o fortalecimento da produção cultural na região como os pontos altos do evento.

“Essa é a primeira vez que a gente consegue reunir todos os sete estados do Norte do país. É muito bonita essa interação entre Acre e Roraima, Rondônia e Amazonas, Tocantins, Pará e Amapá, quer dizer, é mágico poder ver esse intercâmbio acontecendo, uma ideia que surgiu lá atrás, há cinco anos, agora tomando um corpo maior, realmente é muito emocionante”, afirma Guál Dídimo.

Workshop gratuito com grandes nomes do Teatro Musical

Convidadas especiais do evento, a atriz e cantora Myra Ruiz (SP) e a diretora de produção Ivana Sarmanho (SP), conduzem dois workshops exclusivos para os residentes nos estados da região Norte: “Além do glamour e da fantasia: Um olhar realista sobre a construção de uma carreira no Teatro Musical” será ministrado por Myra Ruiz, nos dias 21 e 23 de setembro, às 20h, e “Passei na audição! E agora? Um olhar sobre ética e postura profissional no Teatro Musical”, por Ivana Sarmanho, nos dias 22 e 24 de setembro.

Natural de Belém e company manager dos principais musicais produzidos do Brasil nos últimos 10 anos, Ivana Sarmanho pretende compartilhar toda sua experiência e vivência no backstage, além de levar informações para que os participantes possam refletir e direcionar suas carreiras.

“Não há nenhuma mágica, o que existe é muito trabalho, autoconhecimento e comprometimento. Eu diria que são essas três palavras que norteiam todo o caminho de um profissional, então, espero que nessa troca a gente possa agregar muito uns aos outros”, afirma Ivana Sarmanho. “O teatro é uma atividade profissional coletiva, as coisas não funcionam sozinhas e um, literalmente, depende do outro. A região Norte é imensa, quando você consegue fazer essa ponte entre profissionais de vários estados o ganho é igualmente gigantesco”.

SERVIÇO - 4º Encontro Norte de Teatro Musical, de 20 a 24 de setembro. Programação completa e transmissões ao vivo no site e redes sociais da Folhetim Produções Culturais.

Programação Oficial

20/09 Segunda

20:00 MESA REDONDA

Tema: O Teatro Musical Independente no Brasil

-       Joandson Marques (RR)

-       Marselle Moreira (AC)

-       Tiago de Pinho (PA)

-       Vitor Rocha (SP)

21/09 Terça

16:00 LIVE INTERCÂMBIO 01

-       Alcântara Júnior (PA)

-       Sabrynne Sena (RO)

-       Yuri Warris (PA)

20:00 ENCONTRO ONLINE 01 - PRIMEIRO DIA

Tema: Além do glamour e da fantasia: Um olhar realista sobre a construção de uma carreira no Teatro Musical

Ministrante: Myra Ruiz (SP)

22/09 Quarta

16:00 LIVE INTERCÂMBIO 02

-       Bel Lobato (PA)

-       Larissa Imbiriba (PA)

-       Matheus Sabbá (AM)

20:00 ENCONTRO ONLINE 02 - PRIMEIRO DIA

Tema: Passei na audição! E agora? Um olhar sobre ética e postura profissional no Teatro Musical

Ministrante: Ivana Sarmanho (SP)

23/09 Quinta

16:00 LIVE INTERCÂMBIO 03

-       Cayton Farias (AP)

-       Lígia Coelho (PA)

-       Raissa Gama (PA)

20:00 ENCONTRO ONLINE 01 - ÚLTIMO DIA

Tema: Além do glamour e da fantasia: Um olhar realista sobre a construção de uma carreira no Teatro Musical

Ministrante: Myra Ruiz (SP)

24/09 Sexta

16:00 LIVE INTERCÂMBIO 04

-       Iracy Vaz (PA)

-       Piettro Lamonier (TO)

-       Taciano Soares (AM)

20:00 ENCONTRO ONLINE 02 - ÚLTIMO DIA

Tema: Passei na audição! E agora? Um olhar sobre ética e postura profissional no Teatro Musical

Ministrante: Ivana Sarmanho (SP)

BIOGRAFIA DAS PALESTRANTES (WORKSHOP)

Myra Ruiz é atriz, cantora e bailarina, considerada uma das maiores estrelas do teatro musical brasileiro. Deu vida à icônica bruxa Elphaba da versão nacional de “Wicked”, papel que lhe rendeu indicação ao Prêmio Bibi Ferreira de melhor atriz. Outros trabalhos teatrais marcantes incluem os musicais “Nine”, “Shrek”, “Nas Alturas”, “Rent”, “Chaplin”, “Company”, “Meu Destino É Ser Star” e “Mamma Mia”. Foi eleita pela revista Forbes na lista “30 Under 30” como uma das atrizes revelação mais jovens do Brasil.

Ivana Sarmanho é natural de Belém, mas reside em São Paulo há três décadas, onde exerce a função de diretora de produção. Já liderou eventos de grande porte, documentários, comerciais, vídeos institucionais, programas de TV, shows e peças teatrais. Nos últimos 11 anos foi Company Manager dos maiores musicais já encenados no país produzidos pela T4F, entre eles: “Peter Pan”, “As Bruxas Eastwick”, “A Família Addams”, “O Rei Leão”, “Mudança de Hábito”, “Wicked”, “Les Misérables”, “Dois Filhos de Francisco” e “O Fantasma da Ópera”.

OUTRAS FALAS

Guál Dídimo (PA) - De todas as produções realizadas ao longo dos anos, no meu coração, o Encontro Norte de Teatro Musical tem um lugar especial. É um projeto único, desafiador, mas extremamente recompensante. Eu acho que a gente se posiciona com esse projeto não só artisticamente para o público, mas também politicamente. Nós somos fazedores de teatro musical no norte do Brasil lutando contra todas as adversidades possíveis, lutando contra algumas condições de trabalho muito complicadas, mas com muito orgulho do trabalho que entregamos para o público. A gente se posiciona também como realizadores, como pessoas que sonham, constroem, edificam seus trabalhos e resistem em frente a todas as adversidades.

A região Norte do Brasil é considerada pelo restante do país como uma zona “a ser explorada”, as pessoas não têm muito conhecimento do que é realizado por nós, então, o evento vem para dar visibilidade, para dar espaço, para mostrar que, sim, nós fazemos e acontecemos, nós criamos a nossa realidade e são produtores que trabalham com muito afinco e tem resultados excepcionais no que se propõe.

Eu estou muito feliz com esse projeto que, realmente, conecta as pessoas. Acho que a palavra “conexão” é uma palavra muito forte para mim, porque conectar é realmente juntar, é agregar, é dialogar, é estar junto, e agora, durante a pandemia, essa palavra “conexão” tomou outro viés, não é mais a conexão presencial, mas virtual. É claro que a gente, enquanto fazedor de cultura, sente muita falta do contato com o público, que é o nosso alicerce, mas olhando pelo lado positivo, o evento deste ano pode ser realizado dessa maneira, online, e isso proporciona que a gente chegue a mais estados.

Essa é a primeira vez que a gente consegue reunir todos os sete estados do Norte do país, com representantes de todos os estados, e isso faz do evento ainda mais especial. É muito bonito ver essa interação entre Acre e Roraima, Rondônia e Amazonas, Tocantins, Pará e Amapá, quer dizer, é mágico poder ver esse intercâmbio acontecendo, uma ideia que surgiu lá atrás, há cinco anos, agora tomando um corpo maior, realmente é muito emocionante.

Em tempos de pandemia, com os teatros fechados, a gente não tá conseguindo trabalhar, infelizmente ainda está uma situação muito complicada, ainda mais para o teatro musical, onde geralmente os produtores são independentes, que não têm patrocínios de instituições privadas ou públicas, a gente tá sofrendo um abalo sísmico quase que letal, mas a gente está se rendendo e o evento vem para mostrar que a gente tem força, que a gente tem garra, que a gente vai levantar nesses tempos sombrios e vai mostrar para o país que a gente tem condições de executar feitos quase que heróicos de produzir grandes espetáculos mesmo em condições extremamente adversas.

O Encontro Norte de Teatro Musical é um evento independente, um evento político de posicionamento artístico, cultural e social. Cada participante representa centenas de outros profissionais que trabalham junto com ele ou ela, porque as produções de teatro musical são grandes, realmente é uma união de forças artísticas e culturais.

Fico muito feliz que o projeto foi aprovado pela Edital de Festival Integrados - Lei Aldir Blanc Pará e isso mostra para gente que o Teatro Musical tem relevância cultural imensa para todo o Norte do país, e que bom que isso foi reconhecido por edital e a gente acredita que tudo isso é só o começo dessa visibilidade que o teatro musical tem, porque nós somos sempre casa cheia, nós somos sempre muito bem recebido pelo público, e agora, finalmente, temos também esse reconhecimento parte da instituições públicas através da Lei Aldir Blanc.

Ivana Sarmanho (SP) - Minha expectativa para esses encontros é que eu possa, de alguma forma, através da minha experiência e vivência no backstage, levar informações para que os participantes possam refletir e direcionar suas carreiras. Não há nenhuma mágica, o que existe é muito trabalho, autoconhecimento e comprometimento. Eu diria que são essas três palavras que norteiam todo o caminho de um profissional, então, espero que nessa troca a gente possa agregar uns aos outros.

O teatro está presente na minha vida pessoal e profissional, porque quando eu não estou no backstage, estou na plateia. Antes da produção teatral eu trabalhava no audiovisual, que aos poucos foi me levando ao teatro, portanto, antes de qualquer coisa, sou uma consumidora de arte. Nesses anos de backstage eu tive a oportunidade de trabalhar em vários projetos, alguns bem grandes, que exigem muita disciplina, autocontrole, diplomacia, tudo isso transformou a minha vida completamente, transformou minha forma de enxergar o mundo e de me posicionar no dia a dia.

Acho que esse intercâmbio, essa troca de experiência é muito importante. O teatro é uma atividade profissional coletiva, as coisas não funcionam sozinhas e um, literalmente, depende do outro. A região Norte é imensa e, quando você consegue fazer essa ponte entre profissionais de vários estados, o ganho é igualmente gigantesco. Da mesma forma, eu, que sou de Belém, mas vivo em São Paulo, posso compartilhar minha experiência não apenas com os profissionais que vão trabalhar durante o Encontro, mas como vários profissionais da área. Essa troca é sempre uma via de mão dupla, pois é bom saber o que está sendo produzido na região e cada um sair da sua bolha. A gente começa a olhar para o universo do outro e isso é um ganho imensurável, pois nos faz repensar posturas não apenas como profissionais, mas como cidadãos.

Marselle Moreira (AC) - De forma geral no Acre a produção cultural como um todo é nova, precisamente no ramo de teatro musical não temos muitas produções, porém, durante nestes tempos de pandemia os trabalhos estão voltando agora aos poucos.

O teatro musical é a junção das mais belas linguagens artísticas, para mim representa vida e felicidade. Através da arte podemos levar alegria e significado para a vida das pessoas.

O encontro Norte é uma maneira de conectar artistas e mostrar que todo o país faz arte, e produz cultura!

Matheus Sabbá (AM) - A produção cultural para o teatro musical, em Manaus, tem sido muito complicada, pois são espetáculos que envolvem uma equipe muito grande de pessoas, então, se já era difícil sem a pandemia, fazer isso durante a pandemia agravou muito. Porém, em dezembro de 2020, ganhamos um presente, que foi poder encenar uma temporada da Caixa Mágica do Natal, que foi o último espetáculo que eu dirigi, a pedido da Secretaria de Cultura. Obviamente, a equipe do espetáculo foi reduzida, todos os cuidados foram tomados, não tivemos orquestra, não tivemos coral, eram apenas os atores em cena, mas foi um presente porque a gente, no meio de uma pandemia, conseguiu apresentar um musical e isso foi muito gratificante. Estamos tentando voltar com os nossos projetos, aguardando o lançamento dos editais, fazendo o que a gente pode.

Representa muita coisa, representa muito do que eu sei fazer, porque, desde antes de fazer faculdade, desde antes de começar a pesquisar sobre musicais, eu já era um apaixonado por musicais. Então, o teatro musical representa a minha maior expressão artística, até porque eu acredito muito na junção dos elementos em cena, acredito muito na potência do corpo, da voz, da interpretação e é uma linguagem que proporciona tudo isso, que envolve muita gente - e eu gosto de elencos com bastante gente.

Acho que é a troca de conhecimentos. O Encontro Norte é uma oportunidade para visualizarmos quem são as pessoas que produzem o teatro musical aqui, na Amazônia, no Norte, e de que forma elas fazem isso, do que a gente precisa para avançar nessa produção. As duas últimas edições foram muito importantes e eu acho que se não tivesse conhecido o Guál, hoje a gente não estaria compartilhando tantas coisas, não conheceríamos tantos artistas que produzem teatro musical no Norte. É de uma importância gigante e eu espero que cresça muito mais e que surjam mais políticas públicas para que um evento como esse cresça cada vez mais.

Sabrynne Sena (RO) - Aqui no estado de Rondônia, as coisas começaram a melhorar após a chegada da Lei Aldir Blanc, que possibilitou os grupos a se apresentarem tomando dos os cuidados e medidas e dentro do que era possível. Aqui trabalho com grupos de coros cênicos e grupo vocal cênico. A saída foi trabalhar as propostas cênicas de forma virtual, e quando presencial, ensaios com distanciamento e máscara. Momentos de tensão mas conseguimos produzir mesmo com grupo reduzido.

A pergunta pra mim é... como trazer elementos do teatro pro canto coral? Que é o meu objeto de trabalho por aqui, a implantação dessa vertente dentro dos coros, possibilitou uma maior aceitação tanto do público quanto dos integrantes. A ideia de atuar e cantar e contar uma história ficou mais atrativa e interessante. Um detalhe importante é que esse trabalho é desenvolvido em coros institucionais, ou seja, Coros cênicos dentro das instituições públicas MP, TJ.

Intercâmbio de informações, a possibilidade de conhecer o trabalho dos colegas, fortalecer.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Rio Branco - AC
Atualizado às 03h44 - Fonte: Climatempo
20°
Trovoada

Mín. 22° Máx. 27°

20° Sensação
15 km/h Vento
94% Umidade do ar
90% (40mm) Chance de chuva
Amanhã (26/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 21° Máx. 28°

Sol com muitas nuvens e chuva
Quarta (27/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 21° Máx. 32°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.