Segunda, 24 de Janeiro de 2022 15:38
(68) 99971-5137
Justiça No Bujari

Denunciado pelo MPAC, homem é condenado a mais de 80 anos de prisão por estupro de quatro irmãs

Os crimes ocorreram de 2008 até 2021, no município de Bujari

22/07/2021 14h40
Por: Denis Henrique Fonte: MPAC

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por intermédio da Promotoria de Justiça Cumulativa do Bujari, obteve a condenação de um homem de 26 anos pelo crime de estupro de vulnerável. O promotor de Justiça Antônio Alceste atuou na instrução criminal.

Os crimes ocorreram de 2008 até 2021, no município de Bujari. Conforme a denúncia do MPAC, o réu praticava conjunção carnal e cometia outros atos libidinosos, de forma continuada, com suas quatro irmãs, todas menores de 14 anos quando os abusos iniciaram.

Os estupros só foram denunciados após o homem ser preso em março deste ano por matar o padrasto na zona rural do Bujari, que o teria repreendido pedindo para que ele parasse de abusar de suas irmãs.

Segundo os autos, as vítimas foram ouvidas em sede policial e relataram que o réu esperava elas irem dormir para iniciar os atos sexuais e que as relações ocorriam sem preservativo. Uma das vítimas começou a ser abusada quando tinha apenas três anos de idade.

Ainda conforme os relatos das vítimas, o réu fazia ameaças para que elas não contassem sobre os abusos, chegando a cortar o pescoço do gato de estimação de uma delas com um terçado com o intuito de demonstrar o que aconteceria caso esta relatasse os atos para alguém.

A pena imposta ao réu foi de 80 anos, 3 meses e 21 dias de reclusão, em regime inicialmente fechado. O Juízo da Vara Criminal da Comarca de Bujari determinou ainda que ele não poderá recorrer em liberdade.

“Esse é um dos casos mais impactantes em que atuei. Ao final, a sensação é de que a justiça foi concretizada, visto que a pena aplicada foi correspondente à gravidade dos crimes praticados”, destacou o promotor de Justiça Antônio Alceste.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.