Quarta, 22 de Setembro de 2021 07:24
(68) 99971-5137
Cultura Conto

MEMÓRIAS ENGRAÇADAS E NEM TANTO... | Quase louco!

Ao adentrar à pequena e isolada cidade - cujo acesso, antes da abertura da rodovia, só se dava por avião monomotor ou pelo rio, perfazendo um longo e entediante trajeto - avistaram um cidadão falando sozinho, aos gritos e gesticulando, no meio da rua, dizendo impropérios

11/07/2021 00h00
Por: Redação Fonte: Acreaovivo.com
MEMÓRIAS ENGRAÇADAS E NEM TANTO... | Quase louco!

Por Edir Figueira Marques

Um jovem neófito em política, mas empenhado em tudo a que se dedicava, resolvera candidatar-se a deputado estadual, na primeira eleição deste novo século.

Com parcos recursos, porém, rico de amigos leais e de boa vontade, partiu, na camionete do pai, bem cedo, acompanhado de três bravos cabos eleitorais, pela precária estrada de barro recém-aberta, a BR-364, em visita ao povo dos municípios do interior.

Enfrentando buracos e atoleiros, a viagem até à cidade interiorana se delongou, aos solavancos, além do previsto, e lá chegou a comitiva ao final do dia, sem terem sequer almoçado.

Ao adentrar à pequena e isolada cidade - cujo acesso, antes da abertura da rodovia, só se dava por avião monomotor ou pelo rio, perfazendo um longo e entediante trajeto - avistaram um cidadão falando sozinho, aos gritos e gesticulando, no meio da rua, dizendo impropérios.

Diante do deprimente espetáculo, um dos companheiros comentou que aquela cidade era conhecida como a terra dos loucos.

- Seria pelo isolamento? Indagara um deles.

- Ou pelo consumo do Santo Daime, bebida feita de cipó e ervas da mata amazônica, de origem indígena e que mexe com o juízo de alguns dos adeptos daquela seita?

- Não, não! Nada disso! Explicou o mais antigo, que era ligado àquela comunidade. - Dizem que a loucura desses cidadãos decorre da privação de alimentos! Ou de sua insuficiência qualitativa. O isolamento da cidade, desprovida de acesso por estrada, praticamente ainda inexistente, ou por rio inavegável em época de seca, que perdurava por metade do ano, era responsável pela escassez no abastecimento.

Todos estavam famintos, àquela altura, ainda procurando uma pensão onde jantar, já que o almoço fora “pras cucuias”.

Diante de tal interpretação, o jovem candidato, que era dado a um bom prato, retrucou, de imediato:

- Então, cuida, Monamigo! Mande preparar nossa refeição, no primeiro canto que encontrar.

O encarregado de tomar as providências para matar a fome do pequeno séquito, voltou cabisbaixo do bar, diante da resposta que recebera de que não havia o que comer naquelas paragens. 

E o candidato insistiu, já gaguejando, de fome e de nervoso:

- Se avie, colega, pois, pois, acho que já, já ESTOU FICANDO LOUCO!

 E desolados de fome, bateram à porta de alguns moradores até que encontraram a Dona Raimunda que criava galinha no terreiro, com quem se socorreram e de quem compraram alguns ovos para comer com o pão que, providencialmente, haviam levado na viagem.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Edir Figueira Marques
Sobre Edir Figueira Marques
Professora, mestre em pedagogia, escritora e poetisa.
Rio Branco - AC
Atualizado às 09h20 - Fonte: Climatempo
24°
Muitas nuvens

Mín. 24° Máx. 31°

24° Sensação
9 km/h Vento
94% Umidade do ar
67% (10mm) Chance de chuva
Amanhã (23/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 24° Máx. 32°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Sexta (24/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 24° Máx. 30°

Sol com muitas nuvens e chuva