Sexta, 25 de Junho de 2021 05:52
(68) 99971-5137
Dólar comercial R$ 4,91 -1.17%
Euro R$ 5,85 -1.08%
Peso Argentino R$ 0,05 -1.27%
Bitcoin R$ 175.426,2 -3.197%
Bovespa 129.513,62 pontos +0.85%
Economia Economia

Bolsa Família bate recorde com 14,6 milhões de contemplados em maio

Segundo Ministério da Cidadania, deste total, 9,68 milhões de famílias terão o auxílio emergencial depositado neste mês

18/05/2021 12h22
Por: Redação Fonte: R7
Quase 10 milhões vão receber a segunda parcela do auxílio emergencial 2021 - (Foto: Divulgação/Ministério da Cidadania)
Quase 10 milhões vão receber a segunda parcela do auxílio emergencial 2021 - (Foto: Divulgação/Ministério da Cidadania)

O governo federal anunciou nesta terça-feira (18) que o Bolsa Família bateu novo recorde histórico, com 14,69 milhões de famílias contempladas. A maior marca anterior havia sido registrada no mês passado, com 14,61 milhões de benefícios.

Também nesta terça-feira, começou o pagamento do programa para os beneficiários com o NIS (Número de Identificação Social) final 1. O processamento da base de dados para esse público foi concluído e pode ser consultado em www.cidadania.gov.br/auxilio.

Vale ressaltar que o valor da folha de pagamento do novo auxílio emergencial para o público do Bolsa Família em maio, mês da segunda parcela, é de R$ 2,95 bilhões.  A maior parte das 9,68 milhões de beneficiários neste mês (mais de 50%) é composta por mulheres chefes de famílias: 5,050 milhões de pessoas que receberão R$ 375 cada. O investimento neste público é de R$ 1,89 bilhão.

Em segundo lugar aparecem os beneficiários que receberão o valor padrão. Eles representam 3,307 milhões com direito a R$ 250 (33,4% da folha), com um repasse de R$ 828 milhões no mês. Outras 15,7% das famílias são unipessoais: 1,549 milhão de contemplados com R$ 150 cada, totalizando R$ 232 milhões.

Outras 5 milhões de famílias do Bolsa Família não foram consideradas elegíveis ao auxílio emergencial 2021 em maio. O repasse federal para contemplar esse grupo será de R$ 1,2 bilhão. Eles seguirão recebendo o valor habitual do programa.

O governo federal explica que, segundo o que é previsto na legislação, o público do Bolsa Família recebe o auxílio emergencial desde que existam pessoas no grupo familiar que atendam aos critérios de elegibilidade e o valor do benefício seja maior que a quantia já recebida pelo programa de transferência de renda.

Os integrantes do programa que julgarem que se enquadram nos critérios determinados pela legislação do auxílio e não foram contemplados em maio podem fazer a contestação a partir desta terça-feira (18), no Portal de Consultas da Dataprev. O período de contestações para esse público segue até 1º de junho.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.