Sábado, 12 de Junho de 2021 14:52
(68) 99971-5137
Cultura Poesia

GOTAS MADURAS | Minha mãezinha

À minha mãe Irene

06/05/2021 00h00 Atualizada há 1 mês
Por: Redação Fonte: Acreaovivo.com

Por Edir Figueira Marques

Irene Vilela Figueira. Foto: Arquivo pessoal.

Tão frágil, quase um passarinho, Partiu dessa vida!
Dizia que estava ligada, apenas por um fio,
A esta terra sofrida.
Antes era alegre, prestativa, extrovertida.
Mas não suportou a dor das perdas,
Ao longo de sua jornada.
À doença, antes controlada, se entregou.
Foi-se abatendo, entristecendo
E não
mais se entusiasmava por nada.

Gostava de prosear, de ver o sol nascer,
Aos filhos aconselhar.
Mas, desgostosa, permitiu ao desânimo
Dela se apossar.
E, pensativa, inerte, não mais falou,
Nem mais andou.
Suas mãos, tão hábeis, lindas obras produzia:
Tricô, crochê, pintura, artesanato,
Com que a todos agraciava, presenteava!
Doces, quitutes, delícias, com que nos cativava...
Mas a doença foi minando sua vontade,
E essas mãos, perdendo a habilidade,
Cruzaram-se, derradeiras, no leito de morte,
Deixando a família, para sempre, sem suporte.

Guardo, em um sacrário, suas lembranças,
Não só materiais; sobretudo, recordações
De meu saudoso tempo de criança:
Seu carinho, presente em cada gesto,
Em cada palavra com que me educava.

Tinha o dom de convencer,
De forma lúdica ou mágica.
Como psicóloga nata, explicava...
Criava parábolas, inventava fábulas!
Hoje, não me canso de evocar
Suas histórias com que meu caráter formava.

Devo-lhe, mamãe, tudo que hoje sei. Forjou, com dignidade, a mulher e mãe que sou.
Com suas brincadeiras de “casinha”,
de mentirinha, fui aprendendo
E, em minha personalidade, absorvendo
A responsabilidade, o cuidado, a virtude!
Dela incorporei o perdão, a solicitude,
O amor, o carinho, a dedicação, a tolerância.

Com todo o ensinamento herdado,
Formei minha família, à semelhança
Da família que tive, do aconchego que protege
E que ampara o filho, enquanto criança.
Às gerações seguintes espero transmitir
O bem maior, inestimável,
Que a senhora nos legou, ao partir!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Edir Figueira Marques
Sobre Edir Figueira Marques
Professora, mestre em pedagogia, escritora e poetisa.
Rio Branco - AC
Atualizado às 16h44 - Fonte: Climatempo
25°
Muitas nuvens

Mín. 19° Máx. 26°

25° Sensação
11 km/h Vento
69% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (13/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 18° Máx. 29°

Sol com algumas nuvens
Segunda (14/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 19° Máx. 30°

Sol com algumas nuvens