Segunda, 01 de Março de 2021 21:37
(68) 99971-5137
Política OPINIÃO

COLUNA POLÍTICA | Vacinas

O deputado e médico Jenilson Leite afirma que a única solução possível contra a covid-19 é a vacinação maciça da população.

19/02/2021 19h00 Atualizada há 1 semana
538
Por: Redação Fonte: Acreaovivo.com
Jenilson Leite é médico e deputado estadual
Jenilson Leite é médico e deputado estadual

Perigo

Quem alerta é o deputado e médico Jenilson Leite, em pormenorizado relatório que encaminhou ao governador, à bancada federal do Acre e ao ministro da Saúde: o descontrole do novo corona vírus, causador da covid-19, no estado pode levar à disseminação de variantes do vírus, com transmissão mais rápida e letalidade maior. Essas variantes do Amazonas, da Inglaterra e da África do Sul já circulam com transmissão local em todo o Brasil.

Vacinas

O médico e deputado afirma que a única solução possível é a vacinação maciça da população, que é o que pede no relatório. Ele relata o esgotamento dos recursos humanos, materiais, da capacidade de abertura de leitos na velocidade da expansão da doença e do fato de muitos profissionais de saúde terem sucumbido à covid-19.

Dengue

Outra preocupação é com a dengue, que tem registro médio de 500 casos suspeitos por dia no estado, com a presença da variante hemorrágica e sem disponibilidade de leitos clínicos e UTIs para casos graves. Com relação à dengue, moradores de bairros da capital querem saber onde andam os caminhões do fumaçê, as fiscalizações de terrenos baldios e casas. Tudo está muito solto.

Lua de fel

Não durou dois meses a lua de mel do prefeito Bocalom com a Câmara Municipal. O clima agora é de aberta lua de fel. As críticas ao prefeito são diárias, principalmente pela falta de mecanismos de interlocução com a prefeitura. Como o prefeito não tem bancada e nem líder no parlamento, os vereadores se sentem abandonados. Ninguém responde a seus questionamentos, seus requerimentos são ignorados. E olha que deixar de responder requerimento configura crime de responsabilidade e pode dar cassação de mandato.

Cada um por si

Os vereadores estão se movendo por conta própria, junto com as comunidades nos bairros. E denunciam o descaso e falta de articulação da Prefeitura. Não há transparência, nem plano contra a covid-19 e a dengue, a única autoridade presente junto aos desabrigados é a vice-prefeita, que só pode levar equipes de diversão da Fundação Garibaldi Brasil, na improvisação do abrigo do parque de exposições para as vítimas da enchente.

Bomba

E o prefeito pode jogar mais uma bomba para a Câmara Municipal. Ontem ele anunciou a abertura da “caixa preta” dos ônibus urbanos, prometeu resolver o problema do transporte com substancial redução do preço da tarifa e com ônibus novos com ar-condicionado. Como não existe almoço grátis, só há uma maneira de conseguir mais movimento no transporte público para baixar a tarifa: acabando com as gratuidades, especialmente pondo fim à passagem de estudante, exatamente o que ele disse que faria e depois que não ia fazer na campanha. Como é lei municipal, os vereadores teriam que aprovar o fim do desconto. Eles cometerão esse suicídio político?

Fronteira

Em vez de solução, o Governo Federal vai criar mais problemas e militarizar a questão dos imigrantes ilegais na fronteira, mandando a Guarda Nacional para dispersar o acampamento. A solução precisa ser de lenços brancos da negociação e da diplomacia, não do som dos tiros e cassetetes da guarda. Os imigrantes não são criminosos, são desesperados.

Promessas

Por mais boa vontade que o governador Gladson Cameli tenha em suas peregrinações pelos gabinetes em Brasília, ele tem ouvido muitas promessas, mas dinheiro vivo, na conta do Estado, é coisa rara. Ontem mesmo ouviu do ministro do Desenvolvimento garantia de verbas, mas sem especificar quanto. Essa decisão é da área econômica. Os R$ 450 milhões anunciados pelo senador Márcio Bittar para a enchente do Acre, na verdade é uma mera previsão válida para o ano inteiro e para todo o país. O Governo Federal tem um escorpião escondido no bolso.

Médico

O competente e criterioso médico Osvaldo Leal, que dirigia o comitê da Covid-19 de Rio Branco na gestão de Socorro Neri, é o novo diretor do Hospital de Campanha do INTO, especializado em tratar pacientes com covid-19. E Osvaldo entra mudando tudo. Primeiro, cortou uso de medicação não comprovadamente eficaz, principalmente a mentira da Ivermectina, que pode até fazer o fígado pifar e não cura covid-19.

Pacientes

Outra medida foi garantir mais assistência e informação para os parentes dos pacientes internados. Que agora terão três horários para receber notícias via equipe médica e ainda terão tablets para conversar com os familiares em tratamento. Muito bom.

Estrada

A nova má notícia é a ameaça do fechamento da BR 364 perto de Porto Velho pela cheia do Madeira. Mas a estrada não foi elevada para afastar essa possibilidade?  Até quando o Acre vai ter que conviver com essa incompetência, dos mesmos autores do projeto da ponte que ficou defasado porque ninguém lembrou de refazer o cálculo do nível da enchente do rio Madeira depois da construção das usinas de Santo Antônio e Jirau.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.