Sábado, 27 de Fevereiro de 2021 05:11
(68) 99971-5137
Política OPINIÃO

COLUNA POLÍTICA | Enchente em Tarauacá

A única solução possível é mudar o eixo de crescimento da cidade, levar a população para áreas mais altas e secas, retirando milhares de pessoas que vivem praticamente dentro da calha do rio, que mudou seu curso, como é normal da região Amazônica.

16/02/2021 23h11 Atualizada há 1 semana
379
Por: Redação Fonte: Acreaovivo.com
Rio Tarauacá alaga a cidade homônima
Rio Tarauacá alaga a cidade homônima

Fervente

O clima esquentou na noite fria de Brasília com a prisão em flagrante do deputado federal Daniel Silveira (PSL/RJ) após postar vídeo com xingamentos e ameaças à ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), em especial ao ministro Edson Fachin.

Arrogância

No momento em que a Polícia Federal estava cumprindo a ordem de prisão, emanada pelo ministro Alexandre de Moraes, o deputado Daniel Silveira gravou novo vídeo e postou em sua conta no Twitter em que afirma que foi preso mais de 90 vezes e que o ministro não o calará e segue ameaçando: “vou colocar um por um de vocês em seus devidos lugares” e complementa que “pelo meu país estou disposto a matar ou morrer, ser preso”.

Batata quente

Resta saber como se comportará o recém empossado presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, com essa batata quente nas mãos ao encaminhar a decisão da prisão junto ao seus pares, considerando a prerrogativa parlamentar de ter ou não homologada a prisão pelo plenário da Câmara.

Criminoso

Em sua decisão, o ministro Alexandre Moraes anotou que o deputado Daniel Silveira, no vídeo de 19m9s, não somente defendeu atos antidemocráticos como o AI-5, como o fechamento do STF com a substituição de todos os ministros e “a adoção de ações violentas contra a vida e segurança dos mesmos, em clara afronta aos princípios democráticos, republicanos e da separação de poderes”.

Aposta arriscada

O prefeito Tião Bocalom está jogando a viabilidade de seu mandato em uma ação: o controle da distribuição de água. Ontem, afirmou que tem garantidos R$ 60 milhões em emendas para investimento no SAERB e que conta com essa verba para evitar a privatização e o aumento do custo da água. Sua gestão não tem plano B, além da água e da promessa dos ramais para a produção. É uma operação de alto risco.

Investimentos

Atualmente o governo do Estado repassa ao Depasa cerca de R$ 2 milhões mensais para pagar o parcelamento da dívida com a Energisa e quase outros R$ 2 milhões para pagar parte da folha e custeio dos insumos e manutenção dos equipamentos. Com a municipalização, essa fonte vai secar, sem trocadilho. É despesa que ficará a cargo da prefeitura. O faturamento da água não cobre metade dos custos. O sonho dos aquíferos não resiste à realidade. Não há estudos, eles provavelmente estão infectados de coliformes fecais e terão que ter uma estação de tratamento para o uso da água. E custosas licenças ambientais para perfuração dos poços.

Milhões

O acreano já está cansado de ouvir falar da chegada de milhões de reais para investimentos no estado, que nunca se concretizam. No governo passado, chegou-se a anunciar bilhões e nem dinheiro para quitar o 13º salário do fim da gestão havia. Agora, a prefeitura anuncia R$ 200 milhões para o Igarapé São Francisco, mas R$ 60 milhões para água e economia de R$ 30 milhões no primeiro mês, em que não pagou sequer os terceirizados da limpeza urbana. Como dizia o velho samba enredo de Carnaval, sonhar não custa nada.

Bicarbonato

Muito boa, válida, preciosa a pesquisa da UFAC e da Fiocruz sobre o uso do bicarbonato de sódio no tratamento da Covid-19. Parece que funciona mesmo, até em casos graves, mas é preciso muito cuidado para não levar à automedicação. O bicarbonato de sódio parece inofensivo, mas não é. Em doses altas pode se tornar perigoso, pela alcalinização que provoca. Em pacientes renais pode ser um problema ao elevar os níveis de sódio, provocar desequilíbrio eletrolítico e da relação ácido/base. Tudo deve ser feito com orientação especializada, sem automedicação.

Dez

Dez mortos em um dia no estado pela pandemia. A situação é estarrecedora. Não adianta o governo do estado tomar as medidas corretas, se o governo federal não se mexe. A baixa oferta de vacinas é criminosa, o Brasil é o país em 62º lugar em vacinação. O Acre tem a cobertura mais precária e a poucas doses ainda são sonegadas, desviadas e usadas fora dos grupos prioritários. Em vez de correr atrás de vacinas, o governo federal inventa uma nova panaceia, um spray nasal de Israel. Assim fica muito difícil.

85+

Felizmente avançou na vacinação para idosos em Rio Branco, contemplando os maiores de 85 anos. O ideal é que o calendário para as diversas faixas etárias seja logo divulgado pela prefeitura da capital, para que todos possam se programar e baixar um pouco a aflição que os idosos e familiares estão sofrendo com a indefinição.

Solto

O genro do deputado José Bestene foi posto em prisão domiciliar, com uma série de medidas cautelares, que incluem proibição de contato com outros investigados, retenção de passaporte e uso de tornozeleira, com horário de recolhimento em casa. Nesse caso não houve carteirada. As medidas cautelares servem para isso mesmo. É só fazer com que elas sejam cumpridas até a apuração do que realmente existe de grave nesse caso.

Enchente

Todo mês de fevereiro no Acre é marcado por dois eventos que são obrigatórios no calendário: o carnaval, que este ano fica só na memória de anos passados e as enchentes que assolam Tarauacá. Dá para prever, como dois e dois são quatro, que a cidade sofrerá com enchente. A única solução possível é mudar o eixo de crescimento da cidade, levar a população para áreas mais altas e secas, retirando milhares de pessoas que vivem praticamente dentro da calha do rio, que mudou seu curso, como é normal da região Amazônica. Senão, todo ano será a mesma tragédia repetida. É como enxugar gelo.

Tensa

É muito tensa a situação dos imigrantes haitianos e de outras nacionalidades na fronteira do Brasil e Peru, em Assis Brasil. Sem a intervenção da diplomacia, da negociação entre os dois países a crise não se resolve. Os imigrantes não querem ficar no Brasil nem no Peru, querem apenas a passagem para deu destino intermediário no Equador, de lá o México e, finalmente, o sonho da entrada nos Estados Unidos. Há que ter uma solução para essa passagem, sem que haja conflitos com autoridades brasileiras e peruanas e o grande impacto que o drama humanitário está causando no município de Assis Brasil.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.