Segunda, 24 de Janeiro de 2022 15:22
(68) 99971-5137
Comércio e Indústria ACISA

Empresários recebem governador e superintendente do BASA

O empresário Marcelo Moura falou sobre a importância de uma possível aliança entre estado e iniciativa privada, a fim de buscar uma alternativa para incentivar o trabalhador a continuar consumindo. A sugestão seria garantir que não haverá redução no número de empregos no estado, assim, ele não desanima e gasta com confiança.

26/04/2017 18h49
Por: Fonte: ACISA
Empresários recebem governador e superintendente do BASA

O presidente da Acisa (Associação Comercial do Acre) Celestino Bento de Oliveira convidou associados, jovens empresários e diretores executivos para participar de reunião com o governado do Acre Tião Viana e com o superintendente do Banco da Amazônia André Vargas, na noite desta terça-feira (25), no auditório da entidade. O objetivo do encontro foi de estreitar laços e buscar alternativas viáveis para incentivar a categoria, aquecer e fortalecer a economia do estado.

Durante a reunião, empresários citaram pontos importantes que vem impedindo o crescimento de alguns setores no estado e também as dificuldades encontradas no período de crise. Dentre os assuntos, os mais discutidos capital de giro e incentivo foram os mais discutidos. Os empresários reclamaram da burocracia no momento de solicitar créditos para investimentos e da grande carga de impostos - ICMS (Imposto Sobre Circulação De Mercadorias e Serviços), este, classificado como mais preocupante.

O empresário Marcelo Moura falou sobre a importância de uma possível aliança entre estado e iniciativa privada, a fim de buscar uma alternativa para incentivar o trabalhador a continuar consumindo. A sugestão seria garantir que não haverá redução no número de empregos no estado, assim, ele não desanima e gasta com confiança.

“O comércio precisa de credibilidade e de confiança. É necessário que encontremos uma saída para resgatar o consumidor. A ideia seria unir iniciativa privada e governo para tentar garantir a não diminuição no número de empregos, pois hoje, o pai de família não quer mais se endividar por conta do medo do desemprego. Precisamos passar uma mensagem positiva para o consumidor”, disse Moura.

Para o presidente da AJE Acre (Associação dos Jovens Empresários do Acre) Ramon Guedes, existe algumas complicações quando se refere ao micro e pequeno empresário, pois as condições de incentivo apresentam uma burocracia maior. De acordo com ele, empresas precisam do banco para alavancar o negócio, mas encontram empecilhos na tentativa do relacionamento.

Diante do posicionamento dos empresários, algumas alternativas foram apresentadas pelo superintendente do Banco da Amazônia, mas, ele deixou claro que existe, de fato, a necessidade de uma aproximação maior, por parte do empresário, para que seja estabelecida uma relação de confiança, e à medida que esta relação aumenta, também aumenta o grau de confiança da instituição.

“Os recursos estão disponíveis e oferecemos taxas diferenciadas para atrair o cliente. Em alguns casos o tempo de resposta acaba não sendo favorável e faz com que o cliente vá embora. Mas nós buscamos estabelecer a melhor relação com o cliente. Hoje, 51% dos recursos são destinados aos micro e pequenos empreendedores, mas fortalecer o relacionamento com o banco é crucial”, explicou Vargas.

Em seu discurso, o governador Tião Viana agradeceu o convite e falou sobre a importância do crédito na vida das pessoas, e disse que sem capital de giro o empresário não anda. Na sequência, falou sobre investimentos que o estado tem feito nos últimos anos, e da parceria com o banco. Viana também reforçou a importância do empresário utilizar o FNO - Programa que visa contribuir para o desenvolvimento econômico e social da Região Norte pautado em bases sustentáveis.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.