Quarta, 17 de Julho de 2024
26°

Tempo limpo

Rio Branco, AC

Educação Parcerias

Em Brasília, nova reunião com a Ebserh discute andamento do HU

Em janeiro de 2024, o governador do Acre, Gladson Cameli, e a reitora Guida Aquino, estiveram na sede da Ebserh para anunciar ao presidente Arthur Chioro a intenção de uma parceria com o objetivo de transformar o hospital estadual sob gestão da Fundacre em hospital universitário

20/06/2024 às 15h04
Por: Denis Henrique Fonte: Acreaovivo.com | Assessoria
Compartilhe:
Em Brasília, nova reunião com a Ebserh discute andamento do HU

A reitora da Universidade Federal do Acre (Ufac), Guida Aquino, e o presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Arthur Chioro, se reuniram na tarde de terça-feira, 18, em Brasília (DF), para discutir o andamento do projeto de Hospital Universitário (HU). A obra do hospital acreano está prevista no Novo PAC.  

Em janeiro de 2024, o governador do Acre, Gladson Cameli, e a reitora Guida Aquino, estiveram na sede da Ebserh para anunciar ao presidente Arthur Chioro a intenção de uma parceria com o objetivo de transformar o hospital estadual sob gestão da Fundacre em hospital universitário. A partir dessa proposta, o governo destinou R$ 50 milhões do Novo PAC para compra de equipamentos novos e modernos e para reforma e readequação do espaço físico. 

Mas para que o recurso seja investido na saúde acreana, ainda é preciso assinar um protocolo de intenções para repassar o hospital estadual à universidade. Só então a Ebserh poderá iniciar estudos para a viabilização do projeto. 

“Manifestamos durante a reunião nossa preocupação com a possibilidade de perder R$ 50 milhões que vão melhorar o sistema de saúde do Acre, caso o Governo do Estado não repasse a Fundhacre à Ufac. Se isso acontencer, todo uma luta vai se perder”, disse Guida Aquino.  

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários