Quinta, 18 de Julho de 2024
22°

Tempo limpo

Rio Branco, AC

Polícia Guardiões da paz

Forças policias em Xapuri levam segurança para 17 comunidades com policiamento rural

A implementação do projeto iniciou com o reconhecimento da área, visando entender como funcionava os locais, já que a zona rural de Xapuri é formada pela Reserva Extrativista Chico Mendes e propriedades privadas com prática agropecuária

14/06/2024 às 14h51
Por: Denis Henrique Fonte: Acreaovivo.com | Secom
Compartilhe:
Forças policias em Xapuri levam segurança para 17 comunidades com policiamento rural

Para chegar na primeira localidade de visita do dia, na Escola Estadual de Ensino Médio e Fundamental Belo Horizonte, as forças do Policiamento Comunitário Rural de Xapuri percorreram 24 quilômetros pelo ramal Simitumba, na Sibéria.

O trecho cheio de subidas e descidas é a rotina diária dos policias da 2ª Companhia do 5º Batalhão da Polícia Militar (5ºBPM) que levam segurança para 17 comunidades por meio do patrulhamento rural nas áreas de floresta da princesinha do Acre.

A atividade realizada a cada dois dias em 17 comunidades rurais do município foi uma medida pioneira criada pelo batalhão, devido à extensa área agrária da cidade. A implementação do projeto iniciou com o reconhecimento da área, visando entender como funcionava os locais, já que a zona rural de Xapuri é formada pela Reserva Extrativista Chico Mendes e propriedades privadas com prática agropecuária. O município possui a maior porcentagem de área da Resex Chico Mendes do estado do Acre, com 32,2% da área total da Unidade de Conservação (UC).

A escola Belo Horizonte, com 100 alunos matriculados, é uma das muitas escolas do município contempladas com o patrulhamento rural. Os alunos já familiarizados com os policias vibram com a chegada da viatura, recebendo com festa os militares. Sempre que vêm, há um momento de conversa com os alunos e professores no pequeno refeitório, onde os policiais sentam e ouvem com atenção as observações e relatos dos dias passados.

Aluna da escola estadual há dose anos, Sabrina Conceição Padilha, atualmente cursando o 3º ano do ensino médio, afirma que a presença da polícia na escola faz com que todos os alunos da instituição se sintam seguros e inspirados. “É muito bom ter a polícia sempre aqui, dá mais segurança para a escola, além de fazer com que a gente veja a profissão com outros olhos, pois eles são os heróis da nossa realidade, e o que eles fazem nos inspira a ser como eles, e talvez um dia possamos ser os policiais da nossa comunidade”, disse a estudante, que também é moradora do ramal.

Lecionando há dois anos na escola, a professora Francisca Cosma da Silva fala com entusiasmo da presença policial na escola: “Ano passado estávamos tendo muitos problemas por conta de um bar aqui perto, mas com as visitas diárias da Polícia Militar tudo mudou, a paz voltou e agora podemos ficar tranquilos, porque tem alguém por nós”.

A escola não é a única visita do dia. A viatura segue caminho, agora com destino à comunidade Dois Irmãos, um local muito famoso por suas festas e por reunir em um único local escola, associação e muitas moradias. Chegando ao local, a moradora do ramal há 18 anos, dona Sueli Neri Bezerra, já espera com alegria e café na mesa a chegada do efetivo policial. Com um sorriso contagiante, dona Sueli conversa despreocupada com os policiais que parecem familiarizados com o local e com o papo da senhora de fala mansa e gentil. A moradora fala com alegria das mudanças do local após a implantação do policiamento rural.

“Rapaz, é muito bom ter a polícia aqui. A gente sente uma segurança a mais, porque não só aqui, mas em todos os lugares, a gente vê que quando a segurança está ausente as pessoas se sentem à vontade para se enveredar pelo caminho errado, tomam gosto de estar aprontando nas comunidades, mas com a presença da polícia se afastam, e esse foi o caso daqui”, destaca a moradora do km 60.

O primeiro-tenente do 5º BPM de Xapuri, Roberto Marcos Farias, explica que, além das visitas, o policiamento rural também realiza um trabalho repressivo com atuação nos ramais: “Paramos carros e motos e, com a ajuda do banco de dados do Sistema Apollo, fazemos o reconhecimento facial e a consulta de veículos”.

O Apollo não é a única ferramenta utilizada. Em parceria com o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf), a patrulha rural realiza consultas no banco dados do órgão florestal, onde é possível acessar as informações de 1500 propriedades cadastradas e georreferenciadas. “O aplicativo funciona offline, o que facilita a consulta de onde estiverem”, explica o comandante Roberto.

Guardiões da Floresta

Por meio do policiamento comunitário rural também vai ser possível colocar em prática outro projeto, o Guardiões da Paz, que visa estabelecer um elo entre a polícia e a comunidade. Em Xapuri, o programa social vai levar o nome de Guardiões da Floresta.

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública do Acre, coronel José Américo Gaia, destaca que levar segurança para áreas rurais é uma das prioridades da secretaria. “Visamos, com o patrulhamento rural, o Guardiões da Paz e muitos outros projetos garantir a segurança e o direito de ir e vir de todos os cidadãos acreanos e proporcionar às crianças e adolescentes uma educação que fortaleça o desenvolvimento da cidadania para aqueles que são o futuro do estado”.

O projeto da Polícia Militar tem o objetivo de proporcionar um ensino cívico e moral para crianças e adolescentes, levando cidadania com o incentivo e orientações para conhecerem e cantarem a letra correta do Hino Nacional Brasileiro, compreendendo o que estão recitando e sabendo o significado da letra. Além disso, também haverá momentos de descontração com atividades recreativas.

O patrulhamento do Guardiões da Floresta teve início no dia 10 de junho.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários