Quinta, 18 de Julho de 2024
22°

Tempo limpo

Rio Branco, AC

Justiça Em Mâncio Lima

Dupla é condenada a 39 anos de prisão por sequestro e morte de mulher

Segundo denúncia do Ministério Público Estadual (MPAC), o crime teria sido motivado por motivo fútil, utilizando a promessa de um pagamento e com uso de uma emboscada, dificultando a defesa da vítima

31/05/2024 às 15h30
Por: Denis Henrique Fonte: Juruá Online | ContilNet
Compartilhe:
Dupla é condenada a 39 anos de prisão por sequestro e morte de mulher

Após julgamento na Vara Única Criminal de Mâncio Lima, na última quinta-feira (30), a Justiça condenou Gleison Souza do Nascimento e Moisés Duarte Bezerra a 39 anos de prisão pelo sequestro e morte de Genagila Nascimento de Lima, de 26 anos, em setembro de 2021, no município de Mâncio Lima.

Outras duas pessoas também foram julgadas, Evandson Souza Lima e Evilásio Pinheiro foram inocentados pelo crime. O julgamento iniciou na quarta-feira (29) e se estendeu até a madrugada da quinta-feira. Os réus foram levados a júri popular.

Segundo denúncia do Ministério Público Estadual (MPAC), o crime teria sido motivado por motivo fútil, utilizando a promessa de um pagamento e com uso de uma emboscada, dificultando a defesa da vítima.

Evandson e Evilásio foram acusados de ocultação de cadáver, já Gleison foi responsável pelo sequestro, tortura e morte da mulher. Ela foi enterrada em uma cova rasa, na lama, no Ramal do Chaparral. Gleison foi preso no dia 28 de setembro, no bairro Bandeirante.

À polícia, Gleison afirmou que foi contratado pelo namorado de Genagila, Moisés Duarte Bezerra, que estava preso no Presídio Manoel Neri, em Cruzeiro do Sul, para matá-la. Ele ainda roubou a motocicleta da vítima. O namorado desconfiava que tivesse sido traído.

Confira a sentença de cada um:

Gleison Souza do Nascimento – condenado a 23 anos por homicídio qualificado, ocultação de cadáver e furto.

Moisés Duarte Bezerra – condenado a 16 anos por homicídio qualificado, e inocentado pelos crimes de organização criminosa e ocultação de cadáver. A defesa de Moisés Bezerra que entrou com recurso contra a decisão.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários