Domingo, 23 de Junho de 2024
24°

Tempo limpo

Rio Branco, AC

Política Comissão-Segurança

Arlenilson Cunha garante seriedade e imparcialidade na apuração das denúncias contra diretor do Iapen

O parlamentar, que também é policial penal de carreira, informou que após ouvir as servidoras, a comissão está protocolando junto à mesa diretora da Aleac um documento para que o presidente do Iapen-Acre, Alexandre Nascimento, seja chamado para também ser ouvido, já no próximo dia 29

22/05/2024 às 15h57
Por: Denis Henrique Fonte: Acreaovivo.com | Assessoria
Compartilhe:
Arlenilson Cunha garante seriedade e imparcialidade na apuração das denúncias contra diretor do Iapen

O deputado Arlenilson Cunha (PL), presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), utilizou a tribuna durante a sessão legislativa desta quarta-feira (22) para informar os encaminhamentos dados à apuração das denúncias de assédio moral que estaria sendo praticado pelo presidente do Instituto de Administração Penitenciária do Estado do Acre (Iapen) contra mulheres policiais penais.

O parlamentar, que também é policial penal de carreira, informou que após ouvir as servidoras, a comissão está protocolando junto à mesa diretora da Aleac um documento para que o presidente do Iapen-Acre, Alexandre Nascimento, seja chamado para também ser ouvido, já no próximo dia 29.

“Tivemos um dia intenso aqui ontem com vários debates da tribuna sobre as denúncias protocoladas aos órgãos de Segurança Pública e a esta Casa por meio da Comissão de Segurança Pública. Eu também me pronunciei de forma veemente contrário a qualquer tipo de abuso ou arbitrariedade e nós tivemos a oportunidade de ouvir as policiais penais que protocolaram essa denúncia, ouvimos atentamente, recepcionamos essa denúncia e estamos tratando o assunto com muita seriedade, responsabilidade e compromisso, dando seguimento aos procedimentos necessários”, asseverou.

De acordo com o deputado Arlenilson Cunha, chamar o presidente do Iapen para que compareça à Aleac foi o principal encaminhamento deliberado pela comissão após ouvir as policias.

“Estou apresentando o chamamento do presidente junto à Comissão de Segurança Pública para que ele possa se explicar, para que também posse ser ouvido e que possamos lhe assegurar o direito de defesa. Como presidente da comissão e com os demais membros, asseguro que estamos comprometidos com a transparência e a justiça no desenrolar deste processo. Não vamos de maneira nenhuma violar o direito de ampla defesa e vamos acompanhar o caso do início ao fim, para que seja uma investigação imparcial e principalmente célere. O governo do Estado precisa dar uma resposta a essas policiais, servidoras públicas e à sociedade do Acre. ”, garantiu.

Arlenilson Cunha declarou ainda que acredita na apuração realizada pelo Ministério Público do Acre e pela Polícia Civil e reafirmou o compromisso de dar seguimento e as devidas repostas também por parte da Aleac que, em suas palavras, “nunca deixou de se posicionar e cumprir seu papel constitucional de representar e trazer a verdade para o povo”, expressou.

Em aparte, os deputados Adailton Cruz (PSB) e Eduardo Ribeiro (PSD) parabenizaram Arlenilson Cunha pela condução dos trabalhos relacionados a esse tema.

“Mais uma vez quero lhe parabenizar pela sua postura em especial, com a sua categoria. Dizer também, reforçar que coaduno com a sua convocação referente à Comissão de Segurança Pública e também me solidarizo com as policiais penais que apresentaram a devida denúncia. E acho, assim como a Casa, que realmente o presidente tem que vir aqui e prestar os devidos esclarecimentos”, considerou Adailton Cruz.

Vice-líder do governo na Aleac, Eduardo Ribeiro, reforçou a importância dos encaminhamentos adotados. “Lhe parabenizo como presidente da comissão por este chamamento importante porque as denúncias que chegaram a essa Casa são graves e é preciso prestar os devidos esclarecimentos”, concluiu.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Veja também