Domingo, 23 de Junho de 2024
24°

Tempo limpo

Rio Branco, AC

Emprendedorismo Opinião

CONVERSANDO COM MEU BOTÕES | PENSE DE NOVO

O Poder de Saber o que você não sabe!

21/05/2024 às 10h19
Por: Redação Fonte: Acreaovivo.com
Compartilhe:

Por Íris Tavares

Phil Tetlock descobriu algo peculiar:

Enquanto pensamos e falamos, é comum assumirmos a mentalidade de três profissões:

Pastor, advogado ou político.

Em cada um deles assumimos uma identidade específica e usamos um conjunto diferente de ferramentas.

Entramos no modo pastor quando nossas crenças sagradas são desafiadas: fazemos pregações para proteger e promover nossos ideais.

Passamos pro modo advogado quando reconhecemos falhas no raciocínio de outra pessoa : apresentamos argumentos para desbancar teorias contrárias e ganhar o caso.

Vamos para o modo político quando tentamos conquistar uma plateia: fazemos campanha e lobby pela aprovação dos eleitores.

 

O risco disso é nos tornarmos tão envolvidos em pregar nossas crenças certas, em argumentar contra as crenças erradas dos outros e em discursar em busca de apoio que não nos damos ao trabalho de repensar nossas visões!

          Outro tipo de olhar, é olhar do cientista

Se for um cientista profissional, repensar é essencial ao seu trabalho.

    Mas ser cientista não se trata apenas de uma profissão. É um estado de espírito- uma forma de pensar diferente de pregar, de advogar e de fazer politica

Entramos no modo cientista quando buscamos a verdade: fazemos experimentos para testar hipóteses e encontrar conhecimento.

As vezes, ate os maiores cientistas precisam pensar mais como cientistas.

Se você não tiver disposto a mudar de ideia vai perder muitas oportunidades.

Experimentos recentes sugerem que quanto mais inteligente você for, mais dificuldade pode ter em atualizar suas crenças.

Quanto mais capaz você é, mais difícil é enxergar as próprias limitações.

Ser bom em pensar pode nos tornar ruim em repensar.

 

Pensar como um cientista exige mais do que apenas reagir com a mente aberta. Exige manter a mente aberto ativamente. Exige procurar motivos pelos quais podemos estar errados - não motivos pelos quais devemos estar certos - revisar nossas opiniões com base no que descobriremos.

 

No modo pastor, mudar de ideia indica fraqueza moral,

No modo cientista é sinal de integridade intelectual.

No modo advogado, se permitir ser convencido de algo diferente é admitir a derrota,   Mas no modo cientista é um passo rumo à verdade.

No modo político, reagimos de acordo com as chances de obtermos vantagens ou os riscos de desvantagens.     Mas no modo cientista nos transformamos diante de uma lógica mais precisas e de dados mais convincentes.

 

Quando estamos no modo cientista Qye desenvolvemos agilidade mental.

 

      NUNCA DEIXE DE DEIXAR DE ACREDITAR

Tudo começa com a humildade intelectual:

Saber o que não sabemos. Todos nós deveríamos ser capazes de elaborar uma grande lista de áreas em que somos ignorantes. As minhas incluem arte, mercado financeiro, química, gastronomia…. Reconhecer nossas fraquezas abre caminho para dúvida. Quando questionamos, nos interessamos por saber outras informações que não temos. Essa busca nos leva e novas descobertas.

“Se conhecimento é poder; saber o que não sabemos é sabedoria.

     O pensamento científico prefere a humildade ao orgulho, a dúvida à cerrez, a curiosidade à conclusão.

Quando saímos do modo cientista, o ciclo do repensar é quebrado, passando pro ciclo da confiança excessiva. Se estamos pregando, não conseguimos ver as falhas em nosso conhecimento: acreditamos já ter encontrado a verdade.   O orgulho então gera convicção em vez de dúvida. Nos transformando em advogados: ficamos foçados em mudar a opinião do outro, mas a nossa verdade permanece absoluta. Isso nos leva à vieses de confirmação e desabilidade. Viramos políticos, ignorando ou descartando o que não é bem visto por nossos eleitores- nossos pais, nosso chefe ou os colegas de escola que tentamos impressionar.

Nós nos dedicamos tanto ao show que a verdade acaba relegada aos bastidores.

Acabamos sendo vítimas da “síndrome do ricaço “ descansando comodamente sobre nossos louros em vez de colocar nossas crenças a prova.

   As convicções podem nos trancafiar em prisões que nós mesmos criamos.  A solução não é diminuir o ritmo do nosso pensamento - é acelerar o do repensamento.

   À maldição do conhecimento é que ele fecha nossa mente para o que não sabemos.  A capacidade de abrir a cabeça- e a disposição para fazê-lo - é o que nos dar discernimento. Estou confiante de que, na vida, repensar é um hábito cada vez mais importante. Se estiver errado, tratarei de repensar minha opinião.

       O QUE EU SEI

                      coisas que eu sei que sei

                      Coisas que eu sei

                      Coisas que eu acho que sei

                      Coisas que eu não sei

  Se quisermos ser precisos, não podemos ter ponto cegos. Para ter uma compreensão correta dos nossos conhecimentos e habilidades, talvez seja melhor nos avaliarmos como se fôssemos cientistas olhando por um microscópio. As vezes o ideal é subestimar nossas capacidades.

O aprendizado exige humildade para perceber que temos algo a aprender.

Estando cientes que cada resposta traz novas perguntas e que a busca pela sabedoria é infinita.

Uma marca das pessoas que estão dispostas as passar a vida aprendendo é que elas conseguem aprender algo com todo o mundo que cruza o seu caminho.

      . Íris Tavares

 

“Leitura obrigatória para quem quer ciar uma cultura de aprendizado e experimentação, seja em casa, no trabalho ou na escola.”- Bill gates

Livro: PENSE DE NOVO - Adam Grant

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários