Quarta, 17 de Julho de 2024
26°

Tempo limpo

Rio Branco, AC

Cultura Tagarelices

Mirei na Alcione e acertei na Maria Rita

O samba da filha de Elis Regina encanta e arrebata.

24/03/2024 às 18h56 Atualizada em 24/03/2024 às 19h14
Por: Redação Fonte: Redação
Compartilhe:
Mirei na Alcione e acertei na Maria Rita

 

            Por Socorro Camelo *


Ontem, o palco estava armado para a realeza do samba, um espetáculo que prometia desdobrar as magníficas cortinas da música brasileira, revelando suas joias mais preciosas. A expectativa era ver Alcione, a deusa marrom, cuja voz tem o poder de entoar o coração do Brasil, de fazer o mais rígido dos corpos balançar no ritmo do samba. Mas, como num golpe de mágica, ou melhor, de música, a noite teve uma reviravolta espetacular.

Maria Rita era, para mim, uma mera abertura. A atração preliminar antes do grande evento. Mas como eu estava enganado! Essa "peixinha", filha da lendária Elis Regina, não apenas nadou em águas profundas, como fez delas seu próprio oceano. Com sua interpretação de "Reza", Maria Rita não apenas me conquistou; ela me arrebatou para seu universo. Sua presença de palco é um espetáculo à parte. Leve e solta, ela flutuava como uma pluma ao vento, mas com a força de uma tempestade, enchendo o palco com uma emoção palpável, uma beleza que transcende as palavras. 

Ao meu lado, testemunhando o espetáculo, estavam as queridíssimas Edir Marques e Iris Martins, duas jovens senhoras, fãs de carteirinha da Alcione e a minha filha Mariana. Elas, assim como eu, foram arrebatada pela performance de Maria Rita.

Mas também, que mulher, senhores ! Que artista! Seu talento flui com a mesma intensidade e graça herdados de sua mãe, mas com um brilho todo seu, prova viva de que o talento corre nas veias, mas também de que o brilho individual pode ser tão luminoso quanto o de seus ilustres antecessores.

Quanto à Alcione, sim, a rainha fez seu reinado ser sentido. Sua performance foi tudo que se poderia esperar da grandeza que a acompanha. Porém, a noite já havia sido roubada. Maria Rita, com sua voz e presença, havia me levado para um novo território do samba, um lugar onde eu não sabia que queria estar, mas agora não consigo imaginar deixar.
Em resumo, fui esperando ser arrebatado pela Alcione, mas quem capturou meu coração foi Maria Rita. Prova de que na música, como na vida, as surpresas podem ser tão belas quanto aquilo que mais ansiamos. A noite das rainhas do samba foi um dueto de gerações, onde a veterana e a novata mostraram que cada voz adiciona um capítulo a história rica e vibrante do samba.

Que noite, meus caros, que noite!

Socorro Camelo *é jornalista e escreve neste espaço aos domingos. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários